Jardins radicais de Lina Bo Bardi vão ao Pompidou

Por SILAS MARTÍ

Em tempos de jardins verticais que se multiplicam pelo Minhocão, um projeto paisagístico que Lina Bo Bardi fez desse tipo, dando um paredão verde a uma futura sede da prefeitura paulistana, estará numa mostra sobre a representação de florestas e jardins, em março, na filial do Pompidou, em Metz, no leste da França. Radical, a obra previa uma muralha de mata selvagem se alastrando pelo prédio. Além desse desenho da década de 1990, haverá um projeto para o Instituto Butantan, realizado em 1965.

Jardim na mira Enquanto os desenhos de jardins da arquiteta ganham o mundo, um time de arquitetos radiografa e cataloga neste momento as plantas do quintal de sua Casa de Vidro, parte dos planos de restauro da construção.

Querida Lina Do lado de dentro da casa, a digitalização da correspondência entre a arquiteta e seu marido, Pietro Maria Bardi, um dos fundadores do Masp, está a todo vapor.

Proteção No momento em que Lina Bo Bardi é celebrada, Marcelo Ferraz, que trabalhou com ela em projetos como o Sesc Pompeia, virou assunto de um abaixo-assinado contra uma investigação a seu respeito.

Proteção 2 Ferraz e Francisco Fanucci, sócios do escritório Brasil Arquitetura, são alvos da Operação Hefesta, da Polícia Federal, que investiga fraudes em licitações na obra do Museu do Trabalho e do Trabalhador, em São Bernardo do Campo.

Proteção 3 Uma carta de solidariedade a eles no site EuConcordo.com já tem cerca de 800 assinaturas. Artistas como Alex Flemming, Renata Lucas e Thiago Honório assinam a petição.

Manhattan connection Começa nesta semana em Nova York mais uma edição da feira Armory Show. Estarão lá, entre outras, as galerias paulistanas Luisa Strina, Nara Roesler e Bergamin & Gomide.

Fabio Mauri Um dos nomes mais radicais da arte italiana, o artista, que foi destaque da Bienal de Veneza há dois anos, terá mostra na Bergamin & Gomide a partir do dia 11 de março.