Masp recusa doação de 2.000 obras orientais

Por SILAS MARTÍ

Depois de três anos de negociação, o Masp decidiu devolver as 2.325 peças da coleção de arte asiática doada ao museu pelo diplomata Fausto Godoy. Desde que assumiu o comando da instituição, em 2014, a diretoria liderada por Heitor Martins fez manobras para anular o contrato com Godoy, que a nova gestão considera abusivo, por prever um cargo de curador e remuneração a ele. O Masp, no entanto, vem arcando até agora com as despesas de armazenamento das peças, algumas das quais chegaram a sofrer danos, de acordo com Godoy, quando estavam na reserva técnica do museu na avenida Paulista.

Entrave no vão Marcius Galan, que instala nesta semana um manto no vão do Masp, alusão a um ponto no mapa, por pouco não desistiu. Autorizado pela gestão do petista Fernando Haddad, o trabalho foi questionado pela administração do tucano João Doria.

Entrave no vão 2 Segundo pessoas ligadas à produção, a obra seria pintada no chão, o que teria sido percebido como ataque à política de Doria para o grafite. Com a mudança de material, a obra foi liberada.

Entrave no vão 3 A prefeitura afirma que a tinta deixaria resíduos nos paralelepípedos do vão livre, que é tombado, por isso o veto à técnica.