Coleção Peggy Guggenheim, em Veneza, e Americas Society, em Nova York, recebem Paulo Bruscky

Por SILAS MARTÍ

Paulo Bruscky não vai estar só na mostra principal da Bienal de Veneza. Sua performance “Poesia Viva”, em que atores vestem túnicas com as letras formando essas palavras, será realizada também na Coleção Peggy Guggenheim, num casarão à beira do canal Grande, na cidade italiana.

Enquanto isso, a galeria Nara Roesler abre mostra do artista em sua filial nova-iorquina, e a Americas Society, também em Manhattan, vai encenar a mesma performance.

Bruscky ainda é um dos destaques da seleção da Nara Roesler em seu estande da feira Frieze, que acontece nesta semana, em Nova York.

Chichico Alkmim O fotógrafo, que fez um retrato do dia a dia da cidade mineira de Diamantina no início do século 20, é alvo de mostra no Instituto Moreira Salles do Rio, a partir de 13 de maio.