Desmonte controverso da cracolândia é alvo de obras em mostra inaugural do Sesc 24 de Maio

Por SILAS MARTÍ

Obras da mostra de estreia do Sesc 24 de Maio, em julho, terão a temperatura de conflitos recentes na cidade. Artistas usaram a controversa tentativa de desmonte da cracolândia pelos governos de João Doria e Geraldo Alckmin como assunto de seus trabalhos.

Em “Odiolândia”, de Giselle Beiguelman, frases raivosas das redes sociais contra viciados surgem numa tela preta como legendas dos ruídos da invasão do território do fluxo. Enquanto isso, Raphael Escobar está na mostra organizada por Paulo Herkenhoff com cachimbos da cracolândia.

Encomenda Romero Britto, retratista oficial dos Doria, está vendendo quadros personalizados. O cliente que pagar US$ 500 mil terá seu retrato pintado pelo brasileiro. O projeto terá parte —não revelada— da renda revertida a um museu nos Estados Unidos.

Voo solo Em novembro, a feira Parte, no Clube A Hebraica, terá uma seção para artistas e coletivos sem galeria. Ou seja, autores vão negociar suas obras direto com os colecionadores.